CLASSIFICADOS ON-LINE   |   CLASSIFICADOS IMPRESSO   |   DESENVOLVIMENTO DE SITES   |   GRÁFICA   |   MÍDIA INDOOR   |   REDES SOCIAIS   |   VÍDEOS ANIMADOS   |   NOTÍCIAS

Amazonas enfrenta dificuldades de atendimento a doentes em cidades menores

A doença avança em velocidade para o interior. Enquanto isso, no Hospital Municipal de Tonantins, a 863 quilômetros de Manaus, um aparelho de raio-x e um respirador estão guardados na caixa, novos, há mais de um mês. Amazonas enfrenta dificuldades de atendimento a doentes em cidades menores O Amazonas enfrenta dificuldades enormes de atendimento a doentes em cidades menores. Um aparelho de raio-x parado há mais de 40 dias e um respirador há mais de um mês. Os dois equipamentos estão novos, ainda na caixa, e guardados no Hospital Municipal de Tonantins, a 863 quilômetros de Manaus. Eles poderiam ter sido usados para salvar o seu Getúlio Marinho, de 68 anos, que morreu no último dia 5. Ficou oito dias internado no hospital da cidade com Covid-19. Em estado grave, não conseguiu ser transferido para Manaus, que não tinha vaga nas UTIs. “Meu pai morreu solicitando um raio-x, e ele não conseguiu porque lá o raio-x não estava funcionando. Nem coveiro tem. O meu pai foi enterrado por três sobrinhos dele, eles mesmos enterraram o meu pai”, lamenta Natalina Marinho, filha do Getúlio. Seu Indeberto Rocha, de 65 anos, foi outra vítima. Morreu nesta quinta (21), após três dias de internação. Com Covid-19 e em estado grave, ele teve uma parada cardíaca. “Não tinha um médico na hora que ele mais precisou. Tinha uma enfermeira e um técnico, mas não tinha aparelho respiratório”, conta Edevelton Rocha, filho de Indeberto. O secretário de Saúde de Tonantins, José Julio Junior, informou que não há técnico disponível para instalar o raio-x no hospital, e que o respirador está sendo utilizado no transporte de pacientes – e que ele estava embrulhado e na caixa para preservar o equipamento. Enquanto os equipamentos ficam nas caixas, a doença invade o interior do Amazonas: 52% dos casos confirmados estão fora da capital. Os pacientes mais graves são transferidos para Manaus, única cidade com UTI. A taxa de ocupação de leitos já é de 82%.


Fonte: G1 > Rio de Janeiro
https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/05/22/amazonas-enfrenta-dificuldades-de-atendimento-a-doentes-em-cidades-menores.ghtml


Boletim Informativo

Cadastre-se para receber nosso boletim informativo e notícias de sua cidade ou região.


Copyright 2013-2020 Classificados da barra - (21) 4107-6698 / 3502-0876 / 96475-6947.
Classificados da Barra LTDA, CNPJ: 28.894.203/0001-98, Rua Esperança, 259 SL 01 , Vargem Grande, Rio de Janeiro/RJ, CEP: 22785-590 Todos os direitos são reservados. Proibido a reprodução sem a devida autorização.